Crítica: As Tartarugas Ninja

As tartarugas ninja é a mais nova aventura jovem produzida por Michael Bay, que traz a história de Leonardo, Raphael, Donatelo e Michelangelo, os quatro irmãos mutantes dos desenhos animados da televisão que partem para uma grande missão nas telonas.
Os irmãos são experiências passadas de uma dupla de amigos cientistas que tiveram um desentendimento pessoal, e que, em um período dessa briga o laboratório pegou fogo misteriosamente deixando a entender o fim de todas as pesquisas e testes, inclusive, de quatro tartarugas e um rato.
Os jovens foram descobertos após saírem do esgoto onde moram com seu mestre Splinte (o rato mutante) para lutarem contra o Clã do pé. A jornalista April O'Neil (Megan Fox), que por coincidência era filha de um dos cientistas que morreu em um acidente de um laboratório os vê.
Megan Fox faz uma grande atuação protagonizando April O´Neil, a jornalista do Canal 6, aonde busca seu espaço com uma grande matéria para reconhecimento e crescimento profissional, nisso, aposta todas as suas chances nessa história de descobrir as tartarugas.
O longa, para muitos, veio com o intuito de visar somente o público infantil pelo sucesso da animação nas Tvs, porém, o roteiro traz grandes sacadas jovens de piadas, trilha sonora e aventuras, levando muito em conta os confrontos de lutas entre as tartarugas e os inimigos, com efeitos especiais bem elaborados e com boa fotografia enriquecendo o 3D.

Aos fãs, o filme é muito empolgante e, com toda certeza vale muito a pena ir conferir as cenas de ação e aventura dos irmãos mutantes ninjas nos cinemas.

Leia Mais

Crítica: Um dia de cão (1975)

Lançado em 1975 e dirigido por Sidney Lumet, Um dia de Cão conta a história de um assalto a banco. Sonny e Sal são dois novatos no mundo da bandidagem e acabam sendo cercados pela polícia. No decorrer do filme a situação começa a se inverter, e devido ao grande carisma de Sonny, interpretado por Al Pacino, eles saem da posição de bandidos malvados e conquistam os curiosos que observam as negociações com a polícia.
O filme de Lumet é baseado em uma história real, o que potencializa o grau de verdade que ele contém, isto é, a diegese fílmica se torna tão convincente que permite ao espectador acreditar que aquilo de fato ocorreu. E mesmo que não tivesse acontecido na realidade, a ficção construída nesse filme daria conta de sustentar essa história como verdadeira.
Murray Smith afirma, em seu artigo Espectatorialidade cinematográfica e a instituição da ficção, que o cinema de hollywood tem sua narrativa guiada pelos interesses próprios de seus personagens. Se formos aplicar isso no filme de Lumet, podemos perceber que de fato quem guia toda a trama são os personagens, mais precisamente Sonny, que é responsável por todo o desencadeamento das ações.
Richard Allen diz algo que é muito pertinente ao filme Um dia de cão, segundo ele ao entrarmos em contato com o espaço fílmico “deixamos de ter consciência da imagem projetada como uma reprodução ou registro de alguma coisa e experimentamos os acontecimentos nela representados como se estivessem presentes”. Durante a trajetória de Sonny e Sal, ficamos aflitos, rimos, nos decepcionamos, torcemos e vibramos com cada avanço (e também retrocesso) que os personagens fazem. São filmes assim que cativam as pessoas, pois eles têm a capacidade de brincar com a ficção e a realidade, fazendo com que os dois universos se misturem e que nos sintamos próximos das histórias, dos personagens e das experiências realizadas por eles.
Em Um dia de cão somos trazidos pra dentro da diegese fílmica e ali permanecemos como se fôssemos alguém na plateia que observa as negociações de Sonny com a polícia. Lumet constrói o cenário e o clima visual dramático de uma maneira tão realsta que é como se aquele momento ficcional se fundisse com a realidade. Como um grande exemplo dos filmes em que um personagem se destaca perante os outros, é difícil não se render aos encantos de Sonny. Com uma interpretação incrível de Al Pacino, indicado ao Oscar de melhor ator, o personagem se torna tão real que não confunde apenas o universo diegético a que pertence, mas também consegue persuadir ao público do filme em si. É através dele que nós espectadores nos colocamos dentro do filme, pois seus discursos são tão convincentes que nos vemos torcendo pra que tudo dê certo no final e que ele e Sal se deem bem.
O filme tem uma história tão forte que pode se perceber não somente um ponto de virada, mas no mínimo dois: quando Sonny começa a ser aclamado pelos curiosos presentes no local; e quando se descobre que ele possui um caso com outro homem, o que gera certa divisão de opiniões em meio a seus defensores.

Lumet termina por fazer com que seu filme pareça uma sátira, devido às constantes referências ao contexto social em que os bandidos e os reféns vivem, às pequenas demonstrações de contracultura (presente nas roupas, gírias e outros), e principalmente ao fato de Sonny ter servido as forças armadas na guerra do Vietnã e agora ter que roubar um banco pra bancar uma cirurgia de mudança de sexo para o seu amante. Tudo isso parece um grande “balde de ironia” que o filme derrama sobre a sociedade. É difícil acreditar que em um assalto possa haver uma relação tão próxima e cativa entre bandidos e reféns e isso surge da união genial entre a história verdadeira (que serviu de base para o roteiro) e fatos criados para preencher a trama.
Toda a história se encaminha pra um desfecho esperado, porém não agradável. Pelo fato de termos nos comovido e sido conquistados pelos personagens, torcemos pra que tudo dê certo no final. Na vida real não há uma divisão nítida entre pessoas boas e más, já que todos nós possuímos ambos os lados. Na ficção não. Geralmente os personagens que são bons, são somente bons; e os maus, são somente maus. É aí que os filmes pecam: na superficialidade dos sujeitos. Um dia de cão acerta neste ponto, pois sabemos que Sonny e Sal são exemplos de vilões na ficção, mas os vemos como pessoas reais e não meros agentes fílmicos.
 
Leia Mais

Red Carpet: Première Mundial de Guardiões da Galáxia

Ontem (21/07) rolou a première mundial do filme Guardiões da Galáxia. O evento aconteceu no Dolby Theatre em Hollywood e reuniu elenco, produção e convidados para assistirem a primeira exibição de um dos filmes mais esperados do ano!.
Michael Rooker - Yondu
Bradley Cooper  - Rocket
Chris Pratt - Star Lord
Zoe Saldana - Gamora
Benicio Del Toro  -  O Colecionador
O diretor James Gunn
Davi Bautista - Drax
Vin Diesel - Groot
A galeria completa já está disponibilizada no site da Marvel, e você também pode conferir o vídeo do evento. O filme estréia dia 31 de Julho. Quem ai está ansioso? o/



Fonte: Marvel




Leia Mais

Crítica: Once Upon A Time - 1ª Temporada

Depois de colocar em dia os episódios de Once Upon a Time e agora ter que esperar até setembro para o lançamento da 4ª temporada, decidi rever a série e fazer uma crítica aqui no Scene 66.
Eu não sou do tipo serie maníaca; na verdade tento não me viciar. Sigo poucas, mas sou fiel a elas. Com OUAT não foi diferente. Minha amiga, que também ajuda na moderação do blog, encheu minha cabeça das histórias e das versões que elas ganhavam. Quando resolvi assistir não deu outra, viciei. E se você é tipo de pessoa que cresceu com histórias de princesas, bruxas, príncipes e maldições, com certeza não será diferente.
A série traz todos os contos de fadas para a realidade, onde magia é quase impossível e os finais felizes talvez nunca apareçam. A história gira em torno de Branca de Neve e do Principe Encantado, mas em cada episódio outro personagem de outros contos (ex: Chapeuzinho Vermelho, Chapeleiro Maluco, Grilo Falante, Pinóquio, Bela, Cinderela e até Frankenstein) ganham destaque – aos poucos você acaba conhecendo a “verdadeira história” de todos. São as mesmas versões dos clássicos que nos foram contados, com leves alterações e muitos detalhes que vamos dizer que “esconderam da nossa infância”, como por exemplo: a Rainha Má um dia já esteve do lado do bem.
No ponto de vista técnico, o roteiro é incrível. É muito difícil trabalhar com mudanças temporais (passado/presente), se não tiver um certo cuidado pode deixar o expectador confuso, mas isso não é o que acontece aqui. O roteiro é muito bem definido, assim como todos os personagens e suas histórias e como tudo se encaixa.
No caso dos efeitos especiais que chegam a causar um pouco de estranheza, mas aos poucos você percebe que faz parte do estilo da série, onde ao mesmo tempo que julgamos que tudo é irreal, na verdade não é.
A primeira temporada, como dito anteriormente, tem um ótimo desenvolvimento, mas confesso que é na segunda temporada que tudo melhora.
Sinopse:
A história se passa na cidade fictícia de Storybrooke, no estado do Maine, em que os moradores são, na verdade, personagens de contos de fadas que foram transportados para o "mundo real" através de uma maldição poderosa lançada pela Rainha Má. A única esperança está em Emma Swan (Jennifer Morrison), filha da Branca de Neve com o Príncipe Encantado, que foi enviada do mundo de conto de fadas antes que pudesse ser amaldiçoada. Emma é a única pessoa que pode quebrar a maldição e restaurar as memórias dos personagens perdidos, e com isso, contará com a ajuda de seu filho Henry, que tem um livro de contos de fadas que detém a chave para quebrar a maldição.
 

1ª Temporada (2011):

Ep. 01: Pilot / Piloto
Ep. 02: The Thing You Love Most / Aquilo Que Você Mais Ama
Ep. 03: Snow Falls / Neve e Paixão
Ep. 04: The Price of Gold / O Preço da Magia
Ep. 05: That Still Small Voice / A Voz Interior
Ep. 06: The Shepherd / O Pastor
Ep. 07: The Heart Is A Lonely Hunter / Coração é um Caçador Solitário
Ep. 08: Desperate Souls / Almas Desesperadas
Ep. 09: True North / O Verdadeiro Norte
Ep. 10: 7:15 a.m / O Café da Manhã
Ep. 11: Fruit of the Poisonous Tree / O Fruto da Arvore Envenenada
Ep. 12: Skin Depp / Beleza Externa
Ep. 13: What Happened to Frederick / O Que Aconteceu com Frederick
Ep. 14: Dreamy / Sonhador
Ep. 15: Red Handed / A Capa Vermelha
Ep. 16: Heart of Darkness / O Coração das Trevas
Ep. 17: Hat Trick / Chapeleiro Maluco
Ep. 18: Stable Boy / O Cavalariço
Ep. 19: The Return / O Retorno
Ep. 20: The Stranger / O Forasteiro
Ep. 21: Na Apple Red as Blood / Uma Maça Vermelha Como Sangue
Ep. 22: A Land Without Magic / Uma Terra Sem Magia




Leia Mais

Novas adaptações live-action da Disney

As produções da Disney estão a todo vapor! Depois do sucesso de Alice no País das Maravilhas e Malévola, a produtora está investindo ainda mais em filmes live-action, que são aqueles com atores. Já foram confirmadas as versões de Cinderela, A Bela e a Fera, 101 DáltamasA Pequena SereiaMogli, Mulan e Dumbo.
O clássico conto de Cinderela, já ganhou o seu primeiro teaser que tem como destaque o sapatinho de cristal. O filme será dirigido por Kenneth Branagh (Thor) e estrelado por Lily James. No elenco também está Helena Boham Carter (Alice no País das Maravilhas) como a Fada-Madrinha, Richard Madden (Game of Thrones) como príncipe, Holliday Grainger e Sophie McShera serão as meia-irmãs e Cate Blanchett como a madrasta. O filme tem previsão de estréia para Março de 2015.

A nova adaptação de A Bela e a Fera será dirigida por Bill Condon que dirigiu as duas ultimas partes da saga Crepúsculo. Ainda não há informações sobre o início das filmagens ou elenco.

A Pequena Sereia, um dos grandes sucessos da Disney, também ganhará sua versão live-action. Caroline Thompson (Edward Mãos de Tesoura) está reescrevendo o roteiro e Sofia Coppola dirigirá o longa. Há rumores de que Emma Watson (Harry Potter) ficará com o papel principal. O que acham?
O site Funny or Die fez uma adaptação (tosca mas engraçada) bem ao estilo dos filmes de Sofia Coppola. O ator Evan Peters (X-Men Dias de um Futuro Esquecido) é o príncipe Eric. Assista:

A nova versão do clássico Dumbo será feita através de computação gráfica e terá produção e roteiro por Ehren Kruger (Transformers). Justin Springer (Tron: O Legado) também fará parte da produção. Ainda não há informações sobre elenco ou previsão de lançamento. 

O live-action de Mulan será dirigido por Jan de Bont (Tomb Rider). O papel principal ficou para a atriz chinesa Zhang Ziyi (O Tigre e o Dragão), Wang Lee Hom poderá interpretar o General Li. A Disney investirá US$100 milhões no projeto, o início da produção está agendada para Outubro deste ano. 

E como as novas versões que mostram o ponto de vista dos vilões estão em alta, com a nova adaptação de 101 Dálmatas não poderia ser diferente! O filme será centrado e nomeado como "Cruella". O estúdio contratou Aline Brosh McKenna (O Diabo Veste Prada) para escrever o roteiro e co-produzirá o longa ao lado de Andrew Gunn (Sexta-Feira Muito Louca). Glenn Close, que interpretou a Cruella (foto) será a produtora executiva.

Esses filmes fizeram parte da infância de muitos leitores do blog, e agora queremos saber: qual dessas novas adaptações será a mais esperada? Compartilhe sua opinião com a gente :)

Leia Mais

Noticia: Jogos Vorazes: A Esperança - parte 1

No segundo teaser do filme Jogos Vorazes: A Esperança - parte 1, temos um pronunciamento do Presidente Snow, interpretado por Donald Sutherland, junto com Johanna (Jena Malone) e Peeta (Josh Hutcherson) e uma transmissão pirata impressionante de Beetee no Distrito 13. E o que podemos dizer sobre a transmissão é que o Torto está vivo! Assista:


Jogos Vorazes: A Esperança (parte 1) estreia dia 21 de Novembro. Ansiosos?

Leia Mais